Ser empreendedor está na moda. Por ano, é cada vez maior o número de startups que aparecem, seja em mercados emergentes em potente crescimento económico, como a Índia e a Ásia, ou na América e Europa.

Portugal não foge à regra, acolhendo cada vez mais empresas recém-nascidas que lutam diariamente para singrar num mundo cheio de competitividade. Mas nem tudo é fácil para os empreendedores. Como e onde abrir uma empresa são alguns dos tópicos abordados no artigo.

Análise de mercado

Qualquer que seja o ramo empresarial no qual esteja interessado começar, é muito importante iniciar o processo de criação da empresa conhecendo todas as entidades relacionadas com o setor e elaborar análises e estudos sobre o mercado em que vai entrar. Nestes dados devem estar informações sobre concorrência, consumidores, fornecedores, produtos, entre outros. Assim, quanto mais conhecimentos tiver sobre a atividade, mais facilmente consegue estabelecer estratégias vencedoras.

Investimento inicial

Se tiver algum investidor externo disposto a entrar com capital para alavancar a sua ideia de negócio, melhor. Porém, essas ajudas devem ser encaradas como adiantamentos, uma vez que, mais tarde ou mais cedo, a empresa terá de pagar impostos, taxas e contribuições, para não mencionar o retorno que qualquer investidor pretende.

No âmbito nacional, existem várias entidades que têm como objetivo apoiar a constituição de empresas ou negócios próprios, assim como incentivos à expansão, contratação, modernização ou internacionalização das empresas.

Para além disso, várias instituições financeiras disponibilizam crédito especificamente para que pequenas e médias empresas (PMEs) possam começar a crescer no mercado e “ganhar asas” até serem autossuficientes.

O Estado, por exemplo, disponibiliza um conjunto alargado de soluções, o mais difícil é mesmo encontrá-las. O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) é uma delas, promovendo reuniões de esclarecimento sobre medidas e maneiras de incentivo à criação de empresas.

Outras organizações bastante úteis são as incubadoras de empresas, um conceito cada vez mais utilizado, onde várias startups têm espaços baratos e boas condições onde podem pôr as suas ideias em prática.

Eis algumas instituições que pode ser útil consultar antes de abrir uma empresa:

  • IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação – portal onde pode criar, gerir e desenvolver uma PME, tal como ter acesso a recursos e legislação importantes.
  • AEP – Associação Empresarial de Portugal – prestação de serviços à comunidade empresarial como feiras, exposições, congressos, apoio, consultoria, formação profissional, missões empresariais, promoção de negócios e investimentos, defesa dos interesses e representação dos associados a nível nacional e estrangeiro.
  • AIP – Associação Industrial Portuguesa – cooperação empresarial, internacionalização, formação, inovação, desenvolvimento tecnológico, empreendedorismo e financiamento a empresas.
  • ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários – representação institucional de jovens empresários e apoio à atividade empresarial.
  • ANE – Associação Nacional das Empresárias –  apoio ao desenvolvimento da mulher, na sua condição de empresária, promovendo a sua participação no debate dos grandes temas económicos e sociais e fomentando novas iniciativas empresariais femininas.

Sempre a simplificar!

O avanço tecnológico trouxe muitas vantagens para os empreendedores que querem abrir o seu próprio negócio, fazendo com que exista atualmente um conjunto alargado de serviços online que facilitam e agilizam o processo de constituição de uma empresa, tais como:

  • Portal do Cidadão – criar uma empresa, registar uma marca, obter certidões ou fazer o licenciamento de atividades, assim como informações importantes apresentadas sobre o exercício de diversas atividades económicas em território nacional.
  • INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial – atribuição e proteção de direitos de propriedade industrial, tanto a nível interno como externo, e difusão da informação técnica e científica patenteada.
  • Empresa na Hora – constituição de sociedades num único balcão e de forma imediata.
  • Segurança Social Direta – serviços a empregadores como pagamentos, pedidos, dados ou simulações.
  • Portal das Finanças – apoio ao contribuinte individual e coletivo e informações fiscais e legislativas relevantes, assim como serviços que pode fazer online, como o e-fatura.

Uma vez criada e estabelecida a empresa, é a vez de mostrar o que vale, ao elaborar boas estratégias de comunicação, marketing e comerciais. Boa sorte!

Este artigo foi produzido pela equipa do ComparaJá.pt, a mais recente plataforma online de agregação e comparação de produtos financeiros em Portugal, como cartões de crédito e crédito pessoal.

 Este foi um guest-post. Agradecemos à equipa do ComparaJá.pt pela preferência. Se desejar ter aqui no blogue um guest-post, basta que nos contacte!

Até Breve!

Related Posts with Thumbnails