Um dos problemas de qualquer casamento passa pelas questões relacionadas com o dinheiro. Se os casais não são capazes de se entender nas questões básicas de dinheiro, e na forma de o controlar, isso pode tornar-se uma fonte de conflito dentro do casamento.

Muitas vezes a falta de dinheiro num casamento faz com que o que era um mar de rosas se transforme num verdadeiro caos. Segundo alguns estudos recentes, o motivo de brigas de 84% de pessoas casadas com seus cônjuges não é por problemas com sexo ou com os filhos, mas sim por falta de dinheiro. Geralmente isso se dá quando apenas um trabalha, pois na maioria das vezes pode ser que se sinta pressionado pelas preocupações em manter a casa, enquanto o outro parceiro, de certa forma, atrapalha um pouco o planeamento do orçamento familiar por gastar o dinheiro sem informar

Para evitar conflitos de dinheiro num casamento, pode considerar estas dicas:

1. Antes do casamento faça um acordo pré-nupcial

Nem sempre é bem visto fazer um acordo pré-nupcial já que pode ser visto como um acto de desconfiança entre as partes. Mas acaba por ser uma excelente ferramenta legal para proteger as finanças do casal. Num processo de divórcio, um acordo pré-nupcial protege ambos e serve como uma garantia do património de cada um dos elementos. Não tema, seja aberto com o/a seu/sua parceiro/a e falem sobre a melhor opção.

Convém também estipular o tipo de regime matrimonial que pretendem adoptar.

– Um acordo pré nupcial deve estabelecer regras em relação a:

o Bens e dívidas antes do casamento;

o Planos de heranças e de património;

o Divisão de bens no caso de um eventual divórcio;

o Poderá incluir uma data de revisão do documento, para corrigir ou actualizar no caso de ocorrerem mudanças (por exemplo, o nascimento de filhos).

2 – Discuta abertamente a sua opinião

Falar abertamente sobre diversos problemas relacionados com dinheiro dentro de um casamento, pode ser uma forma de atenuar potenciais fontes de conflito. Certifique-se de que entende o ponto de vista do seu parceiro, sobre aspectos relevantes como: fontes de rendimento, gastar dinheiro, poupanças, investimentos, e empréstimos. Se um dos elementos se sentir confortável com elevados índices de empréstimos e o outro não gostar de pagar elevadas taxas de juro, esta pode ser a altura para compreender o que o outro pensa e de que forma podem chegar a um acordo mútuo.

Diferentes pontos de vista sobre o dinheiro, irão surgir em diferentes alturas de um casamento. Por isso não convém começar logo de inicio com questões não faladas, e que podem num futuro começar a minar uma relação.

3 – Estabelecer objectivos básicos, e desenvolver um orçamento escrito

Já referi há uns tempos atrás sobre como estabelecer objectivos eficazes , e isto pode ser útil, especialmente quando começarem a surgir os primeiros desentendimentos sobre dinheiro num casamento. Nessa altura será uma ajuda preciosa se souber parar e pensar nos objectivos de vida que se estabeleceram e quais aqueles que estão a ser cumpridos. Dentro destes podem ser onde queremos estar daqui a 10, 20 ou 30 anos? Quais são os objectivos de vida mais importantes, e o que é necessário fazer para os concretizar?

O processo de sistematizar, e definir objectivos pode ajudar a resolver diferentes pontos de vista dentro de um casal, forçando-os assim a assumirem compromissos um com o outro, e a fazerem tomadas de decisão conjuntas sobre o modo como irão gastar o seu dinheiro.

Apesar de poder parecer um processo algo “doloroso”, enfrentar estes problemas logo de inicio pode ajudar a evitar mal-entendidos no futuro. É sempre mais fácil discutir sobre preferências de compra numa base de teoria, do que discutir acerca de uma compra efectuada por um dos elementos do casal sem o conhecimento ou consentimento do outro.

4 – Contas Bancárias Conjuntas ou separadas.

Em qualquer casamento existe sempre uma junção de vontades, e alguns casais preferem ter contas bancárias conjuntas, enquanto outros não se sentem à vontade ao sentir que vão perder o controlo sobre as suas contas, e sobre o seu dinheiro.

Para os casais que têm atitudes de compra muito diferentes um do outro, a melhor opção é optar por contas separadas, para assim diminuir algum foco de tensão. No entanto, podem sempre abrir contas conjuntas para as despesas em comum (casa, compras de supermercado, entre outras). E se houver ainda dinheiro disponível depois disso cada um dos elementos do casal deverá poder usar para as suas compras pessoais que não afectem o orçamento familiar.

Além do mais, este excedente pode sempre servir para comprar uma surpresa para o outro…

5 – Estabelecer uma Divisão de Responsabilidades Financeiras

Um outro aspecto a considerar num casamento, é a decisão sobre quem irá lidar com as questões financeiras, como o pagamento de contas, a preparação de impostos, decisões de investimento, entre outras.

Poderá haver um dos elementos do casal que se sinta mais à vontade para lidar com algumas questões do que com outras. No entanto as decisões mais importantes em termos de aplicação de dinheiro, devem ser tomadas em conjunto. Afinal num casamento deve imperar a vontade dos dois.

6 – Fazer uma avaliação periódica

Podem escolher uma data, mensal, bimensal, enfim o que considerarem mais apropriado, para fazer uma revisão sobre os aspectos financeiros da vida do casal. Assim, ambos estarão informados e existe uma altura própria para falarem sobre assuntos relacionados com o dinheiro no casamento

Às vezes o que falta na vida do casal é organização das finanças, se conseguirem por em dia esse aspecto, muitos dos problemas poderão ser minimizados ou mesmo encerrados.

Ter uma folha de orçamento ajuda muito na hora de ter um controle sobre os gastos por isso façam uma. Ou em alternativa podem sempre controlar contas com o Gescontas .

Converse com seu cônjuge e tentem chegar a um acordo para que juntos consigam realizar seus sonhos.

Já agora, conhecem mais dicas que sejam importantes? Deixem as vossas opiniões e comentários!

Até Breve!

Related Posts with Thumbnails